Porto Wordpress Theme
Back to Blog

Método Dilema – Eleições 2022

O Dilema dos presenciáveis
O Dilema de ambos é simbolizado pela casa 1 – O Falso Halo
O Falso Halo simboliza que ambos se iludem, se consideram capazes para o cargo, acreditam que são os gurus da política, consideram-se nobres, justos, éticos. O Falso Halo sussurra que as coisas não são bem assim. Eles se iludem. Só visualizam o bem e não percebem que onde há luz, há sombra e que a vida contém a dualidade.
Resumindo, enquanto não admitem seu lado escuro, paralisam. Essa mania de tomar partido de que eu sou o bom e você é o ruinzinho não leva a nada.
Bolsonaro – A Família, Mestre e Discípulo e a Carga
A Família simboliza que ele não se compromete e deixou na mão de terceiros o que ele tinha que fazer. O Mestre e Discípulo indicam que ele não se esforça em buscar conhecimento e desenvolver a sua inteligência e intelecto. A Carga, por sua vez, indica que ele se trancou em si mesmo e que para ser reeleito será importante entender que o caminho é duro com muitos contratempos e exigirá responsabilidade. O caminho para alcançar o que se deseja é longo.
Lula – A Inquisição, Os Dois Filhos do Rei, O Flautista de Hamelin
Lula tem que tomar cuidado com a hipocrisia. Ele tenta provar a sua inocência criando intolerância e desprezo por aqueles que pensam de maneira diferente da dele. Ele deseja que as pessoas neguem aquilo que elas pensam e o sigam, porque ele colocou na cabeça dele que só ele tem razão. Ele está tão convencido dos direitos dele que não se permite ser mais flexível e tolerante.
Os Dois Filhos do Rei, simbolizam que ele vive dentro de uma bolha e que sonha ser um com o povo. O problema aqui é que essa busca de unidade é ilusória e provavelmente esse aspecto emocional interno o sequestre em um mundo de decepção.
O Flautista de Hamelin indica que Lula é um ótimo propagandista e sedutor. É o Rei da Persuasão. Tem uma boa lábia e vai gastar muita grana em sua candidatura. O problema aqui é que ele cairá em tentação e acreditará em promessas vazias. Ele pode cair na armadilha criada por terceiros e depois descobrir que as coisas não eram bem assim.
A intenção é demonstrar aqui um exemplo de como o Symbolon funciona e como as nossas pessoas internas nos conduzem rumo aos nossos desejos e propósitos. Enquanto fecharmos os olhos para essas figuras internas, elas nos levarão para aonde querem. Sem comando, elas nos sequestram. A força do Symbolon está no despertar. Ele faz nos lembrar daquilo que esquecemos em nós e que está trancado lá no porão esperando serem libertadas.
Outro ponto que quero deixar claro, é que essa leitura é imparcial. Não voto no Lula e não voto no Bolsonaro, portanto não quero confusão se o post não agradar os dois lados.
Comentários desnecessários serão deletados.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back to Blog
Enviar
Olá, em que posso ajudar?