Porto Wordpress Theme

Do Pendurado ao Mago

Back to Blog
Categoria: Blog, Tarô Tags: , , , , , , Data: junho 30, 2018

Do Pendurado ao Mago

Do Pendurado ao Mago

Odin é o mais velho e o mais poderoso dos deuses da mitologia nórdica.Ele abriu mão de um dos seus olhos em troca de sabedoria.
Odin se enforcou na árvore do mundo, Yggdrasill e ficou pendurado por nove noites seguidas. Ele teve o seu corpo perfurado por uma lança e não comeu durante esses nove dias. Ficou ali sozinho, com dor.
Quase a beira da morte, em um estado de agonia e êxtase, Odin olhou para baixo e as runas lhe foram reveladas. Ele as compreendeu, assimilou seu poder e significado. Neste momento, a corda quebrou e Odin caiu da árvore.
Ele aprendeu a magia e o mundo passou a lhe pertencer.
Ele viaja para todos os cantos do mundo sob um disfarce, querendo ver o mundo como as pessoas comuns. Ele é alto, usa um manto e um chapéu.
Ele possui dois corvos, Hugin e Munin, cujos nomes significam
” pensamento” e “memória”. Os corvos viajam pelo mundo inteiro trazendo notícias e levando a Odin todo o conhecimento das coisas. Os corvos pousam em seus ombros e sussurram em seus ouvidos. Nada pode ser escondido de Odin.

Estou lendo o livro de Mitologia Nórdica do Neil Gaiman e estou encantada. Este pequeno trecho do livro, que narra a saga de Odin me leva a pensar no arcano O Pendurado do Tarô. Na Jornada do Herói o isolamento e uma prova de resistência tão terrível, desempenha uma parte importante em todos os ritos de iniciação. Em várias mitologias, o herói passa por provas, como por exemplo, passar uma noite sozinho em uma caverna escura ou em uma floresta, onde precisa enfrentar uma possível morte física, sem ajuda de ninguém. O Herói é levado a encontrar um novo centro, até escondido dele mesmo. Se sobreviver, será levado a um novo entendimento sobre si mesmo e o mundo.

Mirceia Eliade descreve esse momento deste modo:

“Entre os dois mundos, há uma interrupção, uma solução de continuidade… ( Pois a passagem do mundo profano para o mundo sagrado, supõe de certo modo, a experiência da morte, aquele que efetua a passagem morre para uma vida a fim de lograr sucesso a uma outra vida na participação do sagrado).

Odin sofreu, mas renasceu com mais conhecimento e sabedoria. Do pendurado ele foi ao Mago, não sem passar pela Morte, no caso aqui não a morte física e sim a morte do ego e assim chegou ao Mago onde iniciou uma nova jornada, mais sábio e consciente.

Todos nós, em algum momento da vida, vivemos essa transição. Se aceitarmos o destino, mesmo que seja difícil, abrindo mão de coisas que não valem a pena, nós renascemos. E assim, outras possibilidades surgem e nos sentimos mais fortes e revigorados.

Imagem – O Pendurado e o Mago ( Norse Tarot) 
Bibliografia – Mitologia Nórdica – Neil Gaiman 
Jung e o Tarô – Sallie Nichols

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Blog